"> O SÍMBOLO DA NOVA IGNORÂNCIA | Thiago Vieira para Correio do Povo - Direito Religioso }catch (ex){}
O SÍMBOLO DA NOVA IGNORÂNCIA | Thiago Vieira para Correio do Povo
>
>
O SÍMBOLO DA NOVA IGNORÂNCIA | Thiago Vieira para Correio do Povo

O SÍMBOLO DA NOVA IGNORÂNCIA | Thiago Vieira para Correio do Povo

Ebenezer Scrooge se encontra a Ignorância e a Miséria em ‘Canção de Natal’ de Charles Dickens.

Fonte primária: Jornal Correio do Povo

Nelson Marchezan (PSDB), prefeito de Porto Alegre, é o símbolo da ignorância progressista brasileira. Representa o total desconhecimento do que a Igreja Cristã em suas diversas vertentes significa para o Brasil e para o Ocidente, e de sua importância atual. O prefeito simplesmente ignora o papel da Igreja Cristã de colaborar com o Estado para enfrentar toda e qualquer crise, inclusive, e sobretudo, uma crise de saúde como a pandemia de Covid-19!

Ele simplesmente se recusa a entender a essencialidade das atividades religiosas e veda (e provavelmente veta) o funcionamento mínimo das organizações religiosas, mesmo que cumpram todas as determinações do Ministério da Saúde, como ocorre nas principais cidades brasileiras e no próprio decreto estadual de seu colega de partido, Eduardo Leite.

Marchezan, bem como os que o assessoram, precisam deixar de ser “analfabetos funcionais” em história e estudar um pouquinho, para entenderem a função fundamental da Igreja Cristã na formação do Ocidente e das bases do conhecimento. Bem, rapidamente vamos para alguns pontos:

Foi pelas mãos de:

1.  Agostinho de Hipona e pela patrística que o Ocidente conheceu os ensinamentos de Platão.

2. Tomás de Aquino e pela escolástica que o Ocidente conheceu os ensinamentos de Aristóteles.

3.  Gregório Magno que os bárbaros foram cristianizados e deixaram de lado práticas pagãs deploráveis como aborto, infanticídio eugênico, sacrifícios humanos e sodomia generalizada.

4. Carlos Magno que o processo instaurado por Gregório Magno se completou e a Europa se desenvolveu da forma que a conhecemos hoje. O conceito atual de cidades, por exemplo, começou nessa época.

5. católicos da Escola de Salamanca, como Francisco Suarez, que nasce o liberalismo econômico e as bases da Escola Austríaca de Economia – tudo, na verdade, com nascedouro em Tomás de Aquino.

Foi:

6.         tanto a igreja católica como os reis e nobres católicos que impediram a dominação islâmica de toda a Europa, que teria destruído o Ocidente como o conhecemos.

7.         tanto a igreja católica (Bula Sicut Dudum) quanto a protestante lutaram contra a escravidão. William Wilberforce, por exemplo, parlamentar episcopal anglicano, foi fundamental para a abolição da escravidão no Reino Unido e, dai, no resto do mundo.

8.         a Reforma Protestante que desenvolveu o conceito de Estado Nacional, ou seja, a ideia de Estado Moderno que temos hoje. Também a noção de República tem sua origem nesse movimento, por meio dos escritos de João Calvino, Johannes Althusius e Samuel Rutherford, entre outros.

9.         a igreja católica, por meio da encíclica Rerum Novarum, e o movimento metodista de John Wesley, que devolveu a dignidade aos trabalhadores de todo o mundo, os quais, em plena revolução industrial, chegavam a trabalhar dezesseis horas por dia, sem descanso, inclusive crianças.

10.       no seio da Igreja Cristã que o conceito de Dignidade da Pessoa Humana e o igual valor de todos, independente de origem, raça, sexo, cor, idade e posição social se desenvolveu.

11.       no seio da Igreja Cristã que os direitos fundamentais do homem, intimamente ligados com os direitos naturais, também foram desenvolvidos e consagrados.

12.       o direito canônico, ou seja, o direito interno da igreja, que influenciou diretamente todo o ordenamento jurídico que surge no ocidente.

Foram:

12.       os católicos, com seu desejo de propagação do Evangelho, que descobriram o Novo Mundo e fundaram a América.

13.       os protestantes que colonizaram os EUA e formaram a maior, mais próspera e livre nação do mundo.

14.       os católicos que criaram as Santas Casas de Misericórdia, que remonta ao Compromisso da Misericórdia de Lisboa, no século XV.

15.       os cristãos que ensinaram ao mundo o dever do cuidado de seus idosos e órfãos, desde os tempos do Império Romano, até iniciativas modernas de filantropia, como as de John Wesley, no Século XVIII.

16.       As universidades surgiram por iniciativa de Carlos Magno e a maioria dos grandes clássicos literários que temos hoje foram copiados por monges nos monastérios. Durante a Reforma Protestante, Filipe Melanchthon tornou-se conhecido como o “educador da Alemanha” por organizar e reformar as escolas alemãs.

17.       A história da humanidade e o nosso próprio calendário é dividido em antes e depois de Cristo! Jesus Cristo, a Palavra de Deus encarnada, que viveu entre nós, morreu para cancelar a dívida que era contra nós e ressuscitou, vencendo a morte e as trevas, e está assentado à direita de Deus Pai Todo-poderoso, aguardando seu retorno para estabelecer juízo e reinar com a sua Igreja.

Enfim, estes itens são uma pequena amostra da contribuição da Igreja Cristã para o Ocidente; facilmente poderíamos ampliar essa lista.

De toda forma, a Igreja Cristã continua a influenciar a sociedade, sendo fundamental no desenvolvimento de nossa comunidade política. É por meio da Igreja Cristã que as pessoas, sem distinção de posição social, gênero, idade ou cor, exercem cidadania plena, são ouvidas, ensinam e participam da comunidade. É a Igreja Cristã que alcança o pobre, o órfão, o marginalizado, o que sofre violência. Sem a Igreja Cristã, ensina a história, o Estado não sobrevive.

Senhor prefeito, olhe para o Pavilhão Nacional: nele verás o Cruzeiro do Sul, constelação que forma uma Cruz!

Queres maior símbolo de que o cristianismo permeia a consciência nacional?

Quem sabe, um dia, o senhor Marchezan e demais progressistas entendam isso!

Thiago Rafael Vieira – Advogado, escritor e professor de Direito Religioso, especialista em Liberdade Religiosa pelo Mackenzie com estudos em Oxford e Coimbra. Presidente do Instituto Brasileiro de Direito e Religião – IBDR.

Compartilhar com

Não existem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Loja Carrinho

Nenhum produto no carrinho.